Maestro Victorino D’Almeida diz que “Ouvir e Falar” foi das melhores experiências da sua vida

“Vou ter saudades, porque foi realmente das melhores experiências, em termos de ligação com o público e de generosidade”, confessou o maestro António Victorino D’ Almeida no último espetáculo do “Ouvir e Falar”, que decorreu no sábado, no Teatro Municipal Sá de Miranda.

“A forma como a Câmara e o público reagiram aos espetáculos, foram duas atitudes inesquecíveis”, adiantou o maestro, frisando que “foi uma atitude solidária muito bonita”.

O ciclo de conversas com música encerrou com o  arquiteto, poeta e escritor, José Fanha, que descreve esta iniciativa como “fantástica e deliciosa”.

“Faz tanta falta iniciativas como estas, onde se faz cultura a sério: cultura de falar com as pessoas sobre coisas importantes da vida”, sublinhou.

A conversa contou ainda com participações musicais de Quarteto Contratempus e Paulo de Carvalho.

José Maria Costa, presidente da Câmara Municipal de Viana também marcou presença no último espetáculo, onde fez um balanço “muito positivo” dos espetáculos.

“Foi um ciclo de conversas e de canções muito interessante que trouxe até Viana do Castelo muitos artistas portugueses que deram a conhecer o seu outro lado, o que está por de trás das suas composições, da sua escrita e da sua arte”.

O “Ouvir e Falar” promoveu, no total, seis espetáculos, todos os sábados, no mês de março, que contou com convidados como Mário Laginha, Alice Vieira, João Soares, Maria do Céu Guerra, Eduardo Isaac e José Fanha.

Leave a Comment