Família de emigrantes russos vai dar concerto ímpar este sábado em Arcos de Valdevez

Corria o ano de 1995 quando Sergey Arutyunyan e a sua esposa, Larisa Shomina, ambos músicos, abandoram São Petersburgo, na Rússia, e emigraram para Portugal para lecionarem em escolas de ensino artístico. Consigo traziam já dois filhos. Apaixonaram-se pelo Alto Minho, mais concretamente por Viana do Castelo, e mais de 20 anos depois e com mais um filho já nascido em terras lusas, por cá permaneceram. Os cinco são músicos profissionais e vão dar um concerto ímpar este sábado, dia 13 de outubro, na Igreja Matriz de Arcos de Valdevez.

A família Arutyunyan integra, assim, o Alto Minho Ensemble, um grupo que junta diferentes gerações de artistas, desde intérpretes, solistas e mesmo diretores musicais cujo talento é reconhecido a nível mundial e nacional e que têm em comum o facto de serem oriundos ou de exercerem funções no Norte país. Sergey Arutyunyan*, o pai, é diretor musical do grupo. Mikhail Arutyunyan, o filho mais velho, estudou e formou-se como músico em Portugal e está agora a trabalhar na Rússia numa orquestra, tendo vindo nesta fase de férias para Portugal expressamente para tocar neste concerto. Iakov, o filho do meio, está a estudar música e vive em Viana do Castelo. Já Alexandre, filho mais novo e o único na família com nome próprio em português, estuda e vive com os pais também em Viana do Castelo e vai tocar pela primeira vez no Alto Minho Ensemble este sábado.

A iniciativa decorre no âmbito do projeto “Sente a História – Ação Promocional de Música & Património – Novas Abordagens, Novos Talentos” que, até julho de 2019, está a realizar 30 concertos em 30 locais históricos do Alto Minho, envolvendo mais de 1500 músicos e 10 municípios. Este é o nono concerto da iniciativa, sendo que os espectáculos realizados até ao momento contaram com a presença de cerca de 3800 pessoas.

O Alto Minho Ensemble é uma iniciativa da Comunidade Intermunicipal do Alto Minho (CIM Alto Minho), que visa a promoção do talento e valores artísticos da região. Acresce que o grupo é, precisamente, a entidade capacitadora para a área da música de câmara do “Sente a História”, estando a sua produção e coordenação a cargo de David Martins e a direção artística é liderada por Sergey Arutyunyan.

O programa a apresentar na Igreja da Matriz de Arcos de Valdevez é exclusivamente instrumental, dedicado ao género musical por excelência do período barroco: o Concerti Grossi, onde do ensemble emerge um pequeno grupo chamado Concertino (que são os solistas), que se opõe e desafia num duelo musical o tutti do ensemble, chamado Ripieno.

Meia hora antes do concerto, pelas 21h30, vai realizar-se uma visita guiada à Igreja Matriz de Arcos de Valdevez. Localizada no Jardim dos Centanários na Praça do Município, foi edificada entre 1690 e 1700 a mando de D. Pedro II. No seu interior tem notáveis altares em talha e em 1765 o mestre bracarense André Soares edificou a capela do Calvário no lado sul no estilo Rococó. A igreja, os azulejos tipo “tapete” e os retábulos de talha são considerados Património Cultural de Portugal.

Tanto o concerto como a visita guiada têm entrada gratuita.

Notícias relacionadas

Leave a Comment