Parque de estacionamento junto ao Gil Eannes perde 80 lugares

O parque de estacionamento gratuito, ao ar livre, situado na envolvente do navio Gil Eannes, vai perder 80 lugares devido à empreitada de requalificação em curso. A informação foi avançada pelo presidente da Câmara de Viana do Castelo, em resposta a um pedido de esclarecimentos dos vereadores do PSD. José Maria Costa, justificou a redução com a criação de um espaço verde, com cerca de 80 metros quadrados, em frente ao navio.

Na reunião ordinária desta quinta-feira, os dois vereadores social-democratas perguntaram ao autarca “que espaço e área estão a zonas verdes, que espaço e área estão destinados a estacionamento gratuito e se se mantém o mesmo número de lugares de estacionamento”.

José Maria Costa respondeu que o espaço verde a ser criado “a área intervencionada, frontal do navio Gil Eannes, que pretende dar mais dignidade ao espaço onde está instalada a estátua do navegador vianense João Álvares Fagundes e onde será colocado um futuro memorial de homenagem aos pescadores do bacalhau, é relativamente pequena”.

“É uma área relativamente pequena face à extensão da área disponível para estacionamento. Serão eliminados naquela zona frontal ao navio, cerca de 80 metros, serão cerca de 80 viaturas que deixarão de poder estacionar, mas ficarão mais de dois terços da área disponível para futura utilização como parque de estacionamento”, explicou José Maria Costa.

O investimento de 150 mil euros inclui “arranjos exteriores frente ao navio Gil Eanes, com a criação de uma série de percursos para automóveis e peões, assim como de extensas zonas verdes”.

A intervenção incidirá desde a estátua de João Álvares Fagundes até à proa do navio Gil Eannes, atracado há 20 anos na antiga doca comercial de Viana do Castelo, desde que foi resgatado da sucata e transformado em museu. Na envolvente encontra-se ainda o centro cultural, com assinatura do arquiteto Souto Moura.

Segundo o município, a intervenção, integrada no Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU) do Portugal 2020, pretende “ordenar o espaço público e qualificá-lo com a oferta de melhores zonas de fruição para o público, assim como criar uma faixa verde ordenada, paralela ao rio Lima”.

Na reunião ordinária desta quinta-feira marcaram ainda presença quatro encarregados de educação de Deão que contestam o encerramento jardim-de-infância da freguesia e a transferência das crianças para Santa Maria de Geraz. Em declarações aos jornalistas, a vereadora da Educação Maria José Guerreiro explicou que aquela decisão foi discutida em reuniões realizadas, em maio e junho, com as associações de pais, juntas de freguesias e resulta da “enorme redução do número de crianças”.

“Tudo foi falado em devido tempo. A demografia está a exercer uma pressão enorme porque estamos com uma diminuição enorme de alunos. O cenário que tínhamos há quatros anos, neste momento, não se concretiza, face à diminuição enorme do número de alunos”, explicou.

Maria José Guerreiro disse ainda que, neste ano letivo, “quatro dezenas de salas do pré-escolar ficaram livres”, por falta de crianças.

A responsável garantiu que a transferências das crianças do jardim-de-infância de Deão para Santa Maria de Geraz do Lima foi acautelada com a realização de “algumas adaptações, todas elas no sentido de dar mais condições, mais conforto e segurança às crianças”.

 

Notícias relacionadas

One Thought to “Parque de estacionamento junto ao Gil Eannes perde 80 lugares”

  1. Alcindo Moisés Correia Monteiro

    Nada disto acontecia se não tivessem construído aqueles ” mamarrachos ” na praça da Liberdade. Por isso, só há uma solução Demolir aqueles ” mamarrachos ” construídos na presidência do Moura e transformar o espaço em Zona Verde. Haja coragem para corrigir o que foi muito mal feito.

Leave a Comment