Comunidade Intermunicipal do Alto Minho integra projeto europeu para classificar Caminhos de Santiago

A CIM Alto Minho encontra-se a desenvolver um projeto de cooperação inter-regional europeu aprovado no âmbito do programa INTERREG EUROPE, denominado CultRinG – Cultural Routes as an Investment for Growth and Jobs, que tem como objetivo promover e valorizar os investimentos nas rotas culturais europeias (enfoque especial nas rotas certificadas pelo Conselho da Europa) como forma de contribuir para o crescimento e emprego das regiões parceiras.

No âmbito deste novo projeto, existe um desafio comum em termos de avaliação e exploração dos benefícios das rotas culturais existentes e de outras que possam vir a ser implementadas, com ligações às PME, às comunidades de acolhimento, ao desenvolvimento sustentável do turismo cultural, de modo a que os objetivos de crescimento e emprego possam ser atingidos mais rapidamente.

Na sequência da realização da 1ª reunião do grupo de stakeholders do projeto CulRinG, a 12 de dezembro de 2017, a CIM Alto Minho tem desenvolvido as atividades previstas na primeira fase do projeto (2017-2018), que incidem no intercâmbio de experiências e na elaboração de planos de ação para o desenvolvimento e “upgrading” de rotas culturais, o qual, envolve, nomeadamente o diagnóstico da realidade do território em termos de património e da rota cultural existente, nomeadamente através da avaliação em termos de desenvolvimento económico e dos benefícios diretos e indiretos para o crescimento e emprego; metodologias de discussão e acompanhamento; e uma proposta de modelo de governância das rotas culturais.

No seguimento dos trabalhos realizados na primeira reunião, o líder da CIM e presidente da Câmara de Viana do Castelo, que falava aos jornalistas à margem de mais uma reunião do projeto de cooperação inter-regional europeu CultRinG – Cultural Routes as an Investment for Growth and Jobs, explicou que a candidatura conjunta está numa fase inicial de preparação.

“A segunda reunião que está hoje a acontecer em Viana do Castelo vai ajudar a construir a candidatura em que a CIM do Alto Minho está envolvida com outros cinco países, Itália, Chipre, Lituânia, Suécia e a Bélgica, para apresentar aos próximos fundos comunitários, prevendo-se um investimento global de 1,2 milhões de euros”, explicou o autarca no encontro com os jornalistas realizado a bordo do navio-museu Gil Eannes.

José Maria Costa, anunciou ainda, que a associação que junta os dez concelhos da região vai integrar uma candidatura europeia, a submeter aos próximos fundos comunitários, com vista à futura classificação dos Caminhos de Santiago como Património da Humanidade.

“O objetivo final que pretendemos alcançar é a valorização e a classificação do Caminhos de Santiago. É um processo complexo. Há um trabalho longo para ser feito, mas que tem de ser feito desta forma. O Caminho francês já foi classificado, o Caminho português está agora a dar os primeiros passos. Vai sair legislação nacional que nos vai ajudar. O que estamos a fazer agora é a beber informação doutros países, de outros projetos similares para podermos incorporar no nosso processo esse conhecimento”, explicou José Maria Costa.

Notícias relacionadas

Leave a Comment