Páscoa: “Queima do Judas” em Monserrate volta a ser destaque na ribeira de Viana

No dia 31 de março, Sábado de Aleluia, a União das Freguesias de Viana do Castelo (Santa Maria Maior e Monserrate) e Meadela, no concelho de Viana do Castelo, organiza uma vez mais a já tradicional “Queima do Judas”. Esta é uma manifestação de caráter popular que a União de Freguesias vem recriando há já algumas décadas, dando seguimento à tradição e vontade da já falecida “Maria do Gago” que, por iniciativa própria, durante muitos anos se propunha a realizar a Queima do Judas. António Basto, da União de Freguesias, indicou à Geice que esta é “uma das tradições com mais força da ribeira de Viana”.

O percurso inicia às 11 horas no largo em frente à estação de caminhos-de-ferro da cidade de Viana, onde se constitui o cortejo que compõe esta manifestação da cultura ribeirinha. O Juiz e o Escrivão imprimem o respeito e a solenidade ao ato, enquanto as Carpideiras, no caraterístico pranto face à indiferença do Judas, tentam manter o ritual. O Judas, transportado por quatro jovens, sente-se o rei da festa, no meio da alegria dos catraios mais novos. Por sua vez, a Varina de vassoura na mão tenta impor ordem na catraiada. Ao meio-dia, como dita a tradição, o testamento será lido nas quadras pitorescas e populares, com a picardia habitual, para logo se cumprir a sentença. A Queima do Judas está agendada para as 12 horas, na terceira árvore do caminho de acesso ao forte de Santiago da Barra.

Leave a Comment